Precisamos falar sobre “Trânsito”

Com base nas últimas notícias, sobre a forma como o poder público municipal vem tratando o trânsito em Goiânia, nos últimos anos, podemos induzir que: o Trânsito da cidade não foi tratado com moral, tão pouco respeitando a Lei ou o direito? Isto é certo, pelas análises propostas pelo MP de Goiás? Nesse sentido, podemos induzir que o governo nunca foi moral, nem legal, ou mesmo direito, ao lidar com os problemas do trânsito da cidade?  Nunca? Dizer “nunca” parece ser problemático.

Cuidado! Talvez o governo seja moral nesse ponto. Ah, “talvez” é sempre moral? Sempre? Não, isso pode ser um tanto quanto problemático (imoral?). Mas, deixemos de tanta cautela (isso sim é moral e legal!). Os partidos políticos que passaram pela administração municipal de Goiânia quiseram resolver o problema do Trânsito?  Implementaram programas de educação para o trânsito nas escolas? Investiram em estrutura humana e física? Os “Chefes” que administraram a SMT passaram longe da moral, da legalidade ou do direito? Aliás, ali onde se formaram as origens dos “chefes”, ali mesmo é onde a moral não se cria?

A justiça e a legalidade nem precisa dizer: é justamente tudo o que não foi feito até agora no trânsito dessa cidade? Mas, cuidado. Talvez alguém possa ter sido moral e legal. Todavia, (quem sabe?) chegando-se ao posto de “chefe”, bye, bye moral! Nessa direção o capital e a vontade de poder (é ocioso dizer) não são nada morais. Por “chefe” da SMT já passou até banqueiro, mas moral e legal é que não foi.

Servidores (como saco de pancadas do sistema, uni-vos!). Isso até pode ser considerado moral e legal. Se o novo “chefe” é moral? Vamos deixar logo claro (mas cuidado com a clareza: luz demais pode espantar a moral e a legalidade): as “doenças criadas no trânsito da cidade” são todas irrecuperáveis no sentido moral e legal? Algum “chefe” para por ordem nisso tudo? Demolimos o prédio e reconstruímos? O “demônio”, ninguém é mais moral e legal do que ele. Já o inverso, nunca se sabe. Tão severo, tão justiceiro, que pode deixar a moral e a legalidade em dúvida. Fato é que: “Precisamos, urgentemente, falar sobre a moral, a legalidade e o direito no trânsito de nossa cidade. Vamos começar pela campanha: “SINAL DE VIDA: TODOS POR UM TRÂNSITO + SEGURO?” Quem sabe ela seja  o início da legalidade e da moral para o sistema viário de nossa cidade?!! Caminhemos rumo à construção de um trânsito melhor para todos e todas nós…!

logooooFACE



DEIXE O SEU COMENTÁRIO

O conteúdo dos comentários deixados neste website são de responsabilidade exclusiva de seus autores.